OBVIOUS

Quem nunca soltou um pum de vagina que atire a primeira pedra


mensagem final dos artigos da Obvious

Vamos dizer que uma amiga minha foi pega transando. A mãe entrou no quarto e encontrou tudo de pernas pro ar (trocadilho intencional). Tá, e o que rola agora? 

As histórias de sexo que compartilhamos são muito mais sobre uma fantasia onde não existe passar vergonha, se atrapalhar, rir ou falar a coisa errada. Mas passar vexame é bom pra construir caráter (eu sei disso bem), e muitas vezes pode ser o resultado de testar coisas diferentes no quarto (ou em outros lugares). 

Eu perdi a virgindade há quase 15 anos e, na minha época (#millennial), não se falava muito sobre esse tipo de coisa – a geração Z já se sente bem mais confortável de expor publicamente as coisas curiosas do sexo. Puns de vagina, por exemplo, acontecem quando existe muito movimento, muitas posições, muitos ângulos. Em vez de sentir vergonha, é hora de sentir um orgulhinho compartilhado, sim!

Aquela cãibra, tendinite na mão, maxilar dolorido, enfim, pode servir de desculpinha para parar tudo e pedir uma massagem. Se você é #chapadinhadeendorfina, as chances de isso acontecer são muito menores, porque seu corpo já está acostumado a viver coisas intensas – mas pedir massagem tá liberado de qualquer jeito.

Se você não é exibicionista, pode ser estranho transar sendo observada por 4 gatos e 2 cachorros, mas não precisa ser. Na maior parte do tempo, os bichinhos são tranquilos e muito mais interessados em continuar se divertindo entre si. As coisas começam a ficar realmente engraçadas quando um dos gatos resolve pular no meio de vocês ou um dos cachorros aparece lambendo seu pé. Tá permitido rir, vai.

Na hora de testar coisas novas, a pesquisa não é super excitante mas é super necessária. Amarrar alguém e depois não conseguir soltar os nós ou se machucar real tentando aquela posição mais ousada do Kama Sutra só pode piorar se precisar pedir ajuda de alguém de fora pra resolver a situação.

A gente fala tanto sobre como sexo é natural, só que todas essas coisas também são. O corpo faz barulho. As posições podem dar errado. Aquela frase sensual pode parecer boba em voz alta. Ficar insegura com essas coisas só diminui o prazer – e isso a gente não quer, de jeito nenhum! Com bom humor, jeitinho e respeito, todo mundo sai mais feliz. 

(Aposto que depois de ler essa matéria você vai até se vangloriar se rolar alguma dessas coisas na próxima vez que você transar!)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *