OBVIOUS

Por que as dietas não funcionam


mensagem final dos artigos da Obvious

Veja só quem está pela segunda semana seguida aqui no site. Seria um milagre? Ou apenas eu tentando dar atenção a algo que eu adoraria me dedicar mais? Acho que frustração por não conseguir ter consistência em uma vontade que mora sem pagar aluguel na nossa mente é sempre dolorido. Mexe com a nossa autoestima, nos faz questionar nossa capacidade e bota na balança nossa força de vontade. E quando o papo é ser saudável, o que dói mais ainda é o discurso simplista de “ué, é só fechar a boca e fazer exercício todos os dias”, o famigerado “foco, força e fé” ou aquele deleite familiar “mas a sua prima conseguiu emagrecer tão rápido……….”. 

Eu entendo que estou navegando em um território perigoso na internet, então antes de tocar esse barco vamos estabelecer algumas premissas aqui. O que eu observo hoje é que temos duas bolhas antagonistas: de um lado o turbilhão de dietas milagrosas somadas a cupom de desconto para lipo led e, do outro lado, o grupo das que se aceitaram, se amam, do jeito que são. E são maravilhosas mesmo, na minha opinião, as mais evoluídas real. Mas no meio dessa bagunça tem eu, muitas mulheres que eu conheço e possivelmente você. Oscilando entre dias de “RESPEITA ESSA GOSTOSA” e outros de “ok, acho que eu quero perder um pouco de barriga”. Porque entender sobre a cultura das dietas, ler Naomi Wolf (ela foi cancelada, né?) e amar todos os dias um pouco mais o seu corpo não é exatamente uma jornada estável. 

Mas em meio a dias de luta, dias de glória cheguei ao livro “Os 7 Pilares da Saúde Alimentar”, da Dra Sophie Deram. E foi aqui, meus amores, que o meu percurso deu uma virada daquelas: compreendi que o comportamento alimentar é mais relevante do que o alimento em si quando falamos sobre vida saudável e quis que o mundo inteiro ouvisse o que essa rainha tem a falar. Por isso aqui está o primeiro (link) de possivelmente muitos conteúdos com a Dra Sophie. 

A real é que mesmo nos dias de “sou uma grande gostosa”, eu não posso ignorar que carrego a bagagem de quem assinou a revista boa forma com 12 anos (e o ano era 2002, vocês não fazem ideia do que já li por ali…..) e frequentou diferentes nutricionistas por 15 anos. Já me obriguei a comer de três em três horas, já me agredi com jejuns intermitentes. Como eu posso entender a minha fome se eu nunca tive uma relação intuitiva com ela na vida adulta? 

Se até aqui você não viu motivos suficientes para ouvir o episódio, trago de spoiler um dos meus trechos favoritos da conversa.  A Dra Sophie contou sobre uma pesquisa feita entre um grupo de francesas e um grupo de americanas. A pergunta era simples: o que vem à sua mente quando pensa em bolo? As americanas listaram “gordura, açúcar, indulgência, dia do lixo”. Já as francesas, “festa de aniversário, celebração, carinho”. Qual desses dois grupos você acha que tem mais chance de comer bolo até passar mal? Porque, veja bem, nos princípios básicos da biologia aprendemos que onde há força, há resistência. Quanto mais você ataca o seu corpo impondo restrições e querendo mudá-lo, mais ele vai se defender, com risco de desequilibrar a saúde e o peso. 

Talvez você esteja familiarizada com a “dieta da despedida”, ou até praticou ela ontem. Quando se abre a janela de oportunidade para comer em quantidades desproporcionais, às vezes até passar mal, já que amanhã a dieta volta. O ciclo vicioso de restrição > compulsão > culpa é comum e extremamente perigoso. Não existe um alimento que sozinho seja saudável ou não saudável, o que define a saudabilidade é o seu comportamento perante ele. 

Não podemos permitir que a nossa vida gire em torno do que vamos comer, mas comer faz parte dos melhores momentos e prazeres da vida. Como chegamos a esse ponto em que comer um pedaço de bolo carrega em si uma carga emocional tão grande? 

Chega de Marcela, vamos de Dra Sophie Deram: Play no episódio aqui 

Se acabar o episódio com gostinho de quero mais, recomendo: 

Episódio “Why Diets Fail”, da série Explained na Netflix 

Ler os livros “O Peso das Dietas” e os “Os 7 Pilares da Saúde Alimentar”, da Dra Sophie Deram

Ouça também “Não se Destroi o Patriarcado com Fome”, episódio incrivel com a nutricionista Fernanda Iamamura 

(https://open.spotify.com/episode/0MhMrh1YJ7pQN6618jERl4?si=-60PD7NcSLKIM-XQUwHNYA&dl_branch=1

 

 Beijos e muito bom dia, Obvious. 

Ah, comam bolo sim, gostoso demais <3 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *